Música em lojas: bom ou ruim?

A música certa retém o cliente mais tempo na loja e quanto mais tempo uma pessoa permanecer na loja, mais probabilidades existem de que ela venha a comprar. Mas também é verdade que a música errada faz com que os clientes saiam da loja correndo.  

DMX Music, uma empresa americana de programação de música digital para lojas, encomendou um estudo para avaliar o efeito da música em consumidores de varejo. O resultado mostrou que 1 em cada 5 dos consumidores entrevistados declarou que ficou mais tempo na loja como resultado da música que estava tocando quando de sua visita.Este número aumentou levemente quando se tratava de consumidores que iam a lojas 3 ou mais vezes por semana (21,5%) e dentre aqueles com renda anual acima de US$ 100 mil (23,8%). Mulheres jovens se mostraram mais predispostas a ficarem na loja por causa da música do que mulheres mais velhas e homens de qualquer idade.Mas o estudo também mostrou que a música pode funcionar como um repelente, afastando os clientes da loja ! Se a música fôr de um gênero que não agrada o cliente, ele é capaz de largar a compra na metade e sair da loja. Isto é mais verdadeiro quanto mais velhos forem os clientes. Uma constatação que não constitui surpresa, mas pode ser que a média de idade de seu cliente fiel esteja mais perto dos 40 do que dos 30 .Outra observação interessante: compradores mais velhos (acima de 50 anos) ficam mais tempo na loja e compram mais quando a música toca no background, enquanto que compradores mais jovens (de 25 a 49 anos) respondem melhor à música no foreground. 

O que estas informações significam para você? Música pode ter um efeito subliminar nos clientes, influenciando a velocidade com que compram, a disposição de comprar e o tipo de experiência vivenciada na loja. Entretanto, escolher a música certa não é nada fácil.Vários fatores devem ser considerados na escolha do gênero de música a ser tocado na loja. Uma opção é escolher músicas para horários diferentes, misturando estilos e artistas para adequar a música ao momento certo para cada tipo de cliente. Em lojas de shoppings, por exemplo, na parte da manhã os clientes são basicamente jovens mães com seus bebês. Já no horário de almoço são pessoas que trabalham em escritórios próximos e que querem uma “pausa”. No final da tarde são mães com crianças saídas da escola, exaustas, irritadas, e o que você menos deseja é irritar ainda mais estas clientes, certo? 

Se não conseguir fazer o “mix” certo, melhor esquecer a música. Muitas vezes “menos é mais”. Neste caso, menos barulho pode significar mais vendas. 

 

 

2 Responses to “Música em lojas: bom ou ruim?”

  1. Gabriel Says:

    Olá!
    Eu li o seu post sobre nome de empresas, e gostaria que você ma passase o seu e-mail pois queria fazer algumas perguntas…
    pode ser?

    envie para gabriel@gabrielnunes.net

  2. eboniconrad97764 Says:

    Thx Paolo, but I can’t joinud83dude26nAt Joost.com I’m still asked for a password which I didn’t receive in your invite mail.nThere was only a download link for Joost Beta provided :s Come on http://tropaadet.dk/eboniconrad97764081830

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: